sexta-feira, outubro 20, 2006

Havana - Cidade Perdida




Havana - Cidade Perdida (The Lost City)

Realização: Andy Garcia
Argumento: Guilhermo Cabrera Infante
Elenco: Andy Garcia, Inés Sastre, Dustin Hoffman, Bill Murray

Sinopse:
Havana, Cuba, final dos anos 50. O proprietário de um famoso clube nocturno e a sua família abastada são apanhados na violenta transição de regimes entre o Governo de Batista e a chegada ao poder de Fidel Castro.











Comentário:
Andy Garcia, que já provou ser um actor de excelência, surge aqui a realizar, a produzir e a compor algumas músicas da banda sonora. E, na minha opinião, provou ser também de excelência nessas tarefas.
Nota-se que o filme foi feito de coração, pois Andy Garcia presta homenagem à sua terra natal, dando-nos a visão da turbulência vivida no regime de Batista, e posteriormente no regime de Fidel, e mostrando, por outro lado, a essência de Cuba, com toda a beleza, a magia e a sedução que, mesmo em conflito, o país apresenta.
Curiosamente, é-nos revelado um outro Che Guevara, que a História não revela, um assassino impiedoso, que pactua com Fidel nas atrocidades cometidas em nome da revolução e da mudança.
Reinaldo Arenas, na sua autobiografia, (que deu origem ao filme com Javier Bardem) tinha já mostrado como a dita mudança de Batista para Fidel tinha sido um verdadeiro logro, quase passando de mal a pior, mas neste filme a novidade e a ousadia é, sem dúvida, descobrir este novo e diferente "Che".
Mas para além da evocação histórica, está sobretudo a forma quase poética com que Garcia nos mostra Havana, a grandiosa banda sonora que acompanha todo o filme e a beleza da fotografia.
Como disse, este filme foi feito com o coração e está carregado de uma profunda saudade e de um verdadeiro amor pela "cidade perdida", até mesmo ao culminar da história, encerrada ao som da música e com a voz de Garcia a recitar o bonito poema "versos sencillos" de José Martí.
Deixo aqui este link pois nada melhor do que ler esta crónica, de Ipojuca Pontes, para conhecer um pouco mais do filme.
http://www.midiasemmascara.org/artigo.php?sid=5125

"Versos sencillos" - José Martí

Yo soy un hombre sincero
De donde crece la palma.
Y antes de morirme quiero
Echar mis versos del alma.

Yo vengo de todas partes,
Y hacia todas partes voy:
Arte soy entre las artes,
E en los montes, monte soy.
(...)
Todo es hermoso y constante,
Todo es música y razón,
Y todo, como el diamante,
Antes que luz es carbón.
(...)
Con los pobres de la tierra
Quiero yo mi suerte echar:
El arroyo de la sierra
Me complace más que el mar.
(...)
Yo quiero, cuando me muera
Sin patria, pero sin amo,
Tener en mi losa un ramo
De flores, y una bandera!
(...)
Cultivo una rosa blanca
En julio como en enero,
Para el amigo sincero
Que me da su mano franca.

Y para el cruel que me arranca
El corazón con que vivo,
Cardo ni oruga cultivo;
Cultivo la rosa blanca.

Etiquetas:

8 Comments:

Blogger Cris said...

Parabéns pelo blog
Gostei muito dos filmes que sugeres.

12:00 da tarde  
Blogger Nat aka Psipsina said...

Mais um comentário que me deixou curiosa em relação ao filme. Mais um para ver, por este andar a minha lista de filmes a ver vai aumentando a uma velocidade que não se compadece com a minha capacidade para os ver.

2:13 da tarde  
Anonymous Ronald said...

Bem bacana seu blog!
E obrigado pela visita no meu!
Abraços!

2:31 da tarde  
Blogger Lua Obscura said...

Eu também tenho uma lista infindável para ver, há sempre bons filmes a sair. É difícil ter tempo para todos.

6:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O filme estreiou aqui no Brasil há algum tempo. Mas não acreditei muito na produção (talvez por não me simpatizar com Andy Garcia)... Quando assistir, eu te digo o que achei.

Beijos, Marco

2:11 da manhã  
Blogger Ursdens said...

Ainda não vi o filme e, dado que a minha lista infindável também é extensa, dificilmente o verei tão cedo, a não ser que passe na tv...
Gostei, no entanto, do enquadramento, qualquer filme sobre cuba e sobre havana traz-nos sempre aquele exotismo tão sui generis e especial.
Parece-me é que será muito o género do "Havana" do Sydney Pollack, com o Robert Redford...

1:24 da manhã  
Blogger J said...

Poema maravilhoso , às vezes triste , por vezes irônico . Sempre muito emotivo e cheio de nuances .
Quanto ao filme , assisti , mas não nego minha divisão ideológica em relação à temática política do mesmo . Não há como não se comover com a dor do povo cubano e a perda de sua liberdade e costumes , mas não há também como negar que o povo cubano mais pobre da época vivia numa situação de penúria , sob o comando das classes abastadas ,dentro do conhecido e irascível modelo capitalista - algo muito parecido com o Brasil,por sinal .
É complicado tomar um partido nesta controvérsia .
Resta-nos ver o filme (muito bom , por sinal , magnificamente interpretado por todo o elenco )como um belo quadro de um dos pontos de vista desta história .

6:19 da tarde  
Blogger J said...

Poema maravilhoso , às vezes triste , por vezes irônico . Sempre muito emotivo e cheio de nuances .
Quanto ao filme , assisti , mas não nego minha divisão ideológica em relação à temática política do mesmo . Não há como não se comover com a dor do povo cubano e a perda de sua liberdade e costumes , mas não há também como negar que o povo cubano mais pobre da época vivia numa situação de penúria , sob o comando das classes abastadas ,dentro do conhecido e irascível modelo capitalista - algo muito parecido com o Brasil,por sinal .
É complicado tomar um partido nesta controvérsia .
Resta-nos ver o filme (muito bom , por sinal , magnificamente interpretado por todo o elenco )como um belo quadro de um dos pontos de vista desta história .

6:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer