terça-feira, janeiro 23, 2007

A sombra do vento



A Sombra do Vento
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editor: Publicações D. Quixote
Colecção: Ficção Universal
Nº Páginas: 400






Sinopse:
Numa manhã de 1945, um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: "o Cemitério dos Livros Esquecidos". Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.

Comentário:
Esta foi a minha primeira leitura de 2007… uma prenda de Natal oferecida pela minha grande amiga Judith, à qual agradeço ter-me proporcionado belos momentos com a leitura deste livro.
Este é um daqueles livros que quando começado, não nos dá descanso até o terminarmos, é daqueles livros que têm o poder de nos transportar para dentro das páginas e esquecer tudo à nossa volta.
"A sombra do vento" é uma verdadeira surpresa, com uma escrita fluida mas carregada de poesia, pleno de emoções, que nos faz rir (principalmente com o grande Fermín Romero de Torres) e nos faz chorar pelos encontros e desencontros das personagens, unidas por um elo mais forte que a própria vida. Todas as personagens têm uma força que as leva a continuar a viver nas páginas, mesmo depois de mortas.
A forma como a narrativa se constrói e a forma como nos é descrita permanece. Quando fechei o livro fiquei com o coração cheio e com a cabeça inundada de frases e passagens que persistem, por outro lado fiquei com aquela melancolia de quando acabamos AQUELE livro que nos consumiu e nos levou aos territórios especiais que só a literatura possui.

Passagens do livro:
"Cada livro, cada volume que vês, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro muda de mãos, cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu espírito cresce e torna-se forte."

"Poucas coisas marcam tanto um leitor como o primeiro livro que realmente abre caminho até ao seu coração."

"Alguém disse uma vez que no momento em que paramos a pensar se gostamos de alguém, já deixamos de gostar dessa pessoa para sempre."

"Enquanto nos recordam, continuamos vivos."

"Vestia de marfim e trazia o mundo no olhar. Mal me lembro das palavras do padre, nem dos rostos perdidos de esperança dos convidados que enchiam a igreja naquela manhã de Março. Permanece apenas em mim o roçagar dos seus lábios e, ao entreabrir os olhos, o juramento secreto que trazia na pele e que recordaria todos os dias da minha vida."

"Bea diz que a arte de ler está a morrer muito lentamente, que é um ritual íntimo, que um livro é um espelho e que só podemos encontrar nele o que já temos dentro, que ao ler aplicamos a mente e a alma, e que estes são bens cada dia mais escassos."

Etiquetas:

6 Comments:

Blogger Psipsina said...

Um dos livros que mais gostei de ler, no ano passado.

6:39 da tarde  
Blogger Arpedro said...

Nem vais acreditar! Fui hoje à procura dele e sabes o que me disseram? "Está esgotado no editor."
Vê lá se apressas a leitura da Clara. LOL. Estou ansiosa.

Beijos

10:11 da tarde  
Blogger Lua Obscura said...

Ok, vou apressar a Clara!!! LOL!

12:44 da tarde  
Blogger gui said...

está na lista dos favoritos

7:20 da tarde  
Blogger serotonina said...

Adorei esse livro! Belos momentos que passei nas suas páginas!

6:35 da tarde  
Blogger d. said...

Já comecei a ler! Dei logo um grande avanço no parque de estacionamento do Norteshopping! LoL Beijocas

12:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer