sábado, abril 21, 2007


V for Vendetta

Ano: 2006

País: E.U.A./Alemanha

Realização: James McTeigue

Elenco:
Natalie Portman
Hugo Weaving
Stephen Rea
Stephen Fry
John Hurt


Evil - Ondskan - Cruel

Ano: 2003

País: Suécia

Realização:
Mikael Håfström

Elenco:
Andreas Wilson
Henrik Lundström
Gustaf Skarsgård

Comentários:

V for Vendetta - Baseado na Banda desenhada de Alan Moore e David Lloyd, "V for Vendetta" passa-se em Inglaterra, no ano 2020, país liderado por um governo totalitário e fascista. Uma das vítimas desse governo torna-se um anarquista que pretende derrubar o mesmo, escondido pela máscara de Guy Fawkes (o soldado inglês católico que pretendeu, no séc. XVII, rebelar-se contra o governo protestante da época).
Com algumas diferenças da banda desenhada que o criou, "V for Vendetta", não deixa de tornar-se interessante, com boas interpretações por parte de Hugo Weaving e Natalie Portman. A banda sonora é óptima, desde "Cry me a river" até ao momento em que V e Evey dançam ao som de "Antony and The Johnsons". A fotografia é escura e simbólica, mas ao iluminar a máscara de V consegue dar-nos contornos de expressividade.
E a história ficcional, acaba por recordar tantas situações reais, pelo domínio ao longo da História mundial de governos totalitários e pela tentativa de derrubá-los em nome da liberdade, seja por anarquismo ou apenas por um direito que o Ser Humano possui.

Evil - Erik, um jovem de 16 anos, tem uma vida cheia de violência e desacatos. Ao ser expulso da escola, a mãe inscreve-o num colégio interno, como uma última oportunidade de concluir os estudos e conter essa violência e rebeldia.
O filme foi nomeado ao Óscar para melhor filme estrangeiro em 2004, mas não nos traz nada de novo. A história resume-se à opressão em colégios internos (desta feita com a diferença de quem comanda são os alunos mais velhos, totalmente livres, sem obstáculos por parte da direcção), a história do jovem rebelde, agredido pelo padrasto, que ingressa num colégio interno e quase todos os dias tem de pôr à prova a sua contenção e resistência à violência de que é vítima, indo assim contra a sua natureza, enfim a história de alguém que irá ou não vencer o sistema.
Ressalto a interpretação do jovem Erik, expressiva e inexpressiva quando convem.

Etiquetas:

6 Comments:

Blogger Ursdens said...

V for Vendetta é, para mim, um filme razoável, mas ainda assim demasiado gasto e com uma temática muito batida...

De qualquer forma proporciona um entertenimento agradável. Classifico-o como "de domingo à tarde" :D

2:30 da tarde  
Blogger Lorde David said...

Evil impressionou-me pela brutalidade a que são submetidos os jovens da escola pelos bullies. Já V é interessante por estar a favor da estória o tempo todo e não (só) dos efeitos, indo um pouco na contramão das grandes produções de Hollywood atualmente.

2:38 da tarde  
Blogger Luís Alves said...

quanto a mim é um filme corajoso e muito actual. apela à rebelião e mostra que os bons nem sempre são bon e que os maus nem sempre são maus...há muito cinzento no mundo real, e V é filme ambíguo e muito bem conseguido. Parabens pelo teu blog passa pelo meus e diz-me o que achas...:http://www.grandesplanos.blogspot.com/

4:36 da tarde  
Blogger o alquimista said...

Não o vi mas...vou ver...

Doce beijo

10:55 da tarde  
Blogger _Loot_ said...

O V é uma boa adaptação da BD gostei muito, mas se puderes le o livro é melhor.

Quanto ao Evil também estava à espera de melhor.

2:09 da tarde  
Blogger serotonina said...

Dois filmes que gostei muito! O V pela envolvência, pela excelente banda sonora, pela fabulosa interpretação de Hugo Weaving que, apesar de mascarado tem uma expressividade enorme, pelos tons escolhidos e claro, Natalie Portman.
O Evil é impressionante mas perfeitamente compreensível para quem conhece o que se passa nas escolas. Bem interpretado e com o efeito desejado, a revolta.

7:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer