segunda-feira, agosto 13, 2007

Julio Medem

O cinema espanhol sempre me apaixonou, não contando com Almodóvar, incontestavelmente brilhante e o mais mediático de todos, encontramos um leque variadíssimo de grandes cineastas espanhóis como Bigas Luna, Fernando Trueba, Gonzalo Suárez, Manuel Gómez Pereira, entre outros.

E se os referidos são geniais, entre a genialidade existe também Julio Medem, cineasta muito particular, cujos filmes relembram um pouco o trabalho de Buñuel.
Desta forma resolvi dedicar algumas horas a visitar o universo de Julio Medem, e vi quatro dos seus filmes, "La ardilla roja", "Tierra", "Los amantes del Círculo Polar" e "Lucía y el sexo".
E nos quatro filmes encontramos definitivamente um universo peculiar, Medem é mestre em abordar a mente humana, os sonhos, as ilusões e os pensamentos mais recônditos, assim como as coincidências, os desencontros e os acasos do destino, sendo, para além do realizador, o próprio autor das histórias.
Também na escolha dos actores Medem tem um universo singular, pois encontramos muitas vezes os mesmos actores, Nancho Novo surge nos três primeiros filmes que referi, sendo o actor principal em "La ardilla roja", Emma Suárez, Carmelo Gómez e Karra Elejalde surgem em "La ardilla roja" e em "Tierra", Txema Blasco em "La ardilla roja" e em "Tierra" e Najwa Nimri surge em "Los amantes del Círculo Polar" (com uma excelente interpretação, no papel feminino principal) e em "Lucía y el sexo". Já para não falar do filme "Vacas", que ainda não tive oportunidade de ver, mas onde entram também no elenco Carmelo Gómez, Emma Suárez, Txema Blasco e Karra Elejalde.
A própria música, que tem um importante papel nos filmes de Medem, fica sempre a cargo de Alberto Iglesias, compositor bastante reconhecido, tendo trabalhado em alguns filmes de Almodóvar e tendo sido nomeado ao Oscar de melhor Banda Sonora Original no filme "O fiel jardineiro". A propósito da colaboração de Alberto Iglesias, o crítico de música de cinema Conrado Xalabarder, considera-o um complemento directo de Medem, "tornando mais acessíveis os seus filmes e convertendo-se no melhor porta-voz da introspecção das personagens, expressando o que escondem os seus olhares e os seus silêncios".
Em suma, deparamo-nos com um cineasta singular e genial, que não abdica deste universo especial, e extremamente invulgar, que envolve os seus filmes, ao ponto de recusar a oferta de Steven Spielberg para realizar "A máscara de Zorro".

La ardilla roja
Ano: 1993
Elenco: Emma Suárez, Nancho Novo, Carmelo Gómez, María Barranco, Karra Elejalde

Sinopse: Numa noite de Verão, Jota vê uma jovem sofrer um acidente de moto. Por causa disso, a jovem sofre de amnésia total. Então Jota fá-la acreditar que se chama Lisa e que era sua noiva há quatro anos. Juntos, vão para um camping chamado La Ardilla Roja, dando início a uma intrigante história de amor e enganos.

Tierra
Ano: 1996
Elenco: Carmelo Gomez, Emma Suarez, Karra Elejalde
Sinopse: Em algum lugar perdido do universo, num vilarejo de terra vermelha, Angel chega com a missão de livrar as plantações de uva de uma praga que as faz produzir um vinho com um gosto a terra.
Em contacto com os habitantes, Angel descobre também uma forma de resolver os seus problemas pessoais.

Los amantes del Círculo Polar
Ano: 1998
Elenco: Najwa Nimri, Fele Martinez, Nancho Novo
Sinopse: Otto e Ana conheceram-se quando eram crianças. Conheceram-se por acaso, as pessoas relacionam-se por acaso.
Tudo começa em 1980, quando têm oito anos saem do colégio a correr por diferentes motivos. Desde essa tarde começa a desenhar-se um círculo que só se completa dezassete anos mais tarde, quando ambos têm vinte e cinco anos.

Lucía y el sexo:
Ano: 2001
Elenco: Paz Vega, Tristan Ulloa, Najwa Nimri
Sinopse: Lúcia é uma jovem empregada num restaurante em Madrid. Quando perde o seu namorado (Lorenzo), um escritor cujo livro ela tinha adorado, Lúcia refugia-se numa ilha mediterrânica. No entanto, vai descobrir que a sua relação com o escritor tinha contornos sombrios, em que a linha entre a ficção e a realidade se parece desvanecer.

Qualquer um dos filmes de Medem é uma verdadeira surpresa, mas se tivesse de optar por um, a minha escolha iria para "Los amantes del Círculo Polar", forte, profundo e genial. Curiosamente o filme mais difícil para Julio Medem, como é referido no site do realizador:

"Su estructura concéntrica (y capicúa, como el nombre de los protagonistas y el apellido del propio director) y los alternativos puntos de vista que narran la historia hacen de esta película un verdadero ejercicio de virtuosismo cinematográfico (es reseñable el gran trabajo de montaje de Iván Aledo), donde todos los elementos confluyen hacia la tragedia de amor más intensa relatada en el cine español en los últimos años.(...)
Para Medem esta ha sido seguramente y hasta el momento su película de ficción más costosa, física y psicológicamente hablando. Además de un rodaje durísimo por España y las frías estepas de Finlandia Julio introdujo en este relato todo su ser, con muchísimas referencias autobiográficas que trasladó a las vidas de los personajes. Esta honda implicación en la historia y su terrible final condujeron a Medem a un estado total de depresión y angustia existencial. El rodaje y posterior éxito de Lucía y el sexo supusieron para el director una liberación."

Do filme:

Ana: Voy a quedarme aquí todo el tiempo que haga falta. Estoy esperando la casualidad de mi vida, la más grande, y eso que las he tenido de muchas clases. Sí, podría contar mi vida uniendo casualidades.

Otto: Es bueno que las vidas tengan varios círculos, pero la mía, mi vida, sólo ha dado la vuelta una vez y no del todo. Falta lo más importante...

Etiquetas:

8 Comments:

Blogger Museu do Cinema said...

Não conhecia esse cineasta, ouvi falar muito bem de Lucia y o sexo, mas nunca o vi, vc me deixou curioso.

Pena que os outros não foram lançados por aqui.

1:51 da tarde  
Blogger Lua Obscura said...

Mas aconselho vivamente, acho que os filmes dele são uma verdadeira surpresa.

4:47 da tarde  
Blogger Manuelinho said...

Diria que Medem é um cineasta circular. É provavelmente um dos maiores nomes do cinema europeu.
Excelente, S.
Beijo

4:02 da tarde  
Blogger Rui Luís Lima said...

olá lua obscura!
este é um cineasta que conhecemos mal, apenas vimos o filme com a Paz Vega.
obrigado pela recomendação.
cumprimentos cinéfilos
paula e rui lima

7:10 da tarde  
Blogger Pedrita said...

muito bacana o seu blog. eu não presto tanta atenção em diretores espanhóis. a não ser almodóvar que tento não perder um filme no cinema. gostei de os amantes do círculo polar. beijos, pedrita

9:55 da tarde  
Blogger Arpedro said...

Fico sempre com vontade de ver os filmes que comentas e recomendas. Mas acabo por não dar seguimento à vontade. UPS! Vou-te lendo. Lol

12:42 da manhã  
Blogger Ursdens said...

Só vi dois filmes de Medem, "Lucya y o Sexo" e "Os amantes do círculo Polar".

Do primeiro gostei, embora o achasse um tanto ou quanto maçador... Quanto ao segundo é de uma leveza enorme, de uma sensibilidade extasiante! Cinco estrelas!

Cumprimentos cinéfilos!

1:41 da tarde  
Blogger 1 motivo said...

Estou ansioso por ver chegar o "Caotica Ana". Só espero que tenhamos a sorte de o ter distribuído em Portugal. Porque o cinema de Medem é para se ver em écran grande.

Ah e eu aconselho vivamente o documentário premiado "LA PELOTA VASCA, LA PIEL CONTRA LA PIEDRA", para quem nunca viu Medem sob outro prisma.

NT

4:07 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer